web analytics
Curso de treinador de Futebol

Curso de treinador de Futebol: Um guia essencial para o planeamento e execução de sessões, e os Príncipios Fundamentais de Ensinar Futebol

Ensinar futebol pode ser complexo. Requer conhecimento, preparação, mente aberta, vontade de aprender, e, talvez o mais importante, a capacidade de aprender, criar relações e trabalhar com pessoas. A abordagem dos melhores treinadores de futebol rege-se por um príncipio base. Em primeiro lugar focam-se em conhecer melhor os seus jogadores enquanto seres humanos para, posteriormente, os ajudar a crescer enquanto atletas. Para além disso, os treinadores de futebol são também comunicadores natos, que gostam de planear e executar os seus treinos. Um conjunto tão vasto de qualidades pode parecer assustador para novos treinadores de futebol, mas é algo que pode ser desenvolvido e aprimorado com a prática. Para todos os que se questionam sobre um curso de treinador de futebol, o primeiro passo é sempre fácil: estar preparado para aprender.

Os príncipios fundamentais de um treinador de futebol jovem

Na PDP, defendemos uma abordagem orientada para os príncipios do coaching. Enquanto treinadores de futebol, devemos estar sempre preparados para nos adaptarmos de acordo com o que está em nosso redor e as necessidades dos jogadores, mas uma base que agrege os princípios fundamentais pode providenciar ajuda útil na hora de planear as sessões de treino e o desenvolvimento do jogador.

Os quatro princípios fundamentais da PDP são:

  • Diversão primeiro
  • Centrar o treino na evolução do jogador
  • Incentivar a aprendizagem através da prática
  • Manter os jogadores ativos

Diversão primeiro

Enquanto treindores de futebol, o nosso objetivo principal é ajudar as crianças a apaixonarem-se pelo desporto, aprofundando essa ligação para que, eventualmente, se traduza numa participação ativa no jogo ao longo de toda a vida. Isto significa que é necessário criar atividades e exercícios estimulantes e intensos onde as crianças podem desfrutar e interagir com os seus colegas, aprendendo sem medo de falhar, e divertindo-se.

Claro que também queremos ajudar os nossos jogadores a aprender e crescer, mas isto é apenas possível se providenciarmos um ambiente onde eles possam desfrutar da prática do futebol. No fim de contas, os níveis de resiliência e trabalho árduo exigidos no longo processo de desenvolvimento, serão apenas possíveis se a criança realmente amar o futebol.

A chave desta abordagem é perceber que os nossos jogadores estão em primeiro. Podemos sentir-nos tentados a somente ganhar jogos ou em executar exercícios complexos que agradam os espetadores, mas isso não é o melhor para as crianças que treinamos. Em vez disso, colocamos os nossos egos de lado e concentramo-nos em executar sessões de treino que os nossos jogadores vão achar envolventes e divertidas.

Centrar o treino na evolução do jogador

Centrar o treino na evolução do jogador significa conhecer todos os jogadores da nossa equipa e adaptar a nossa abordagem para lhes dar a melhor experiência possível. Todas as crianças são diferentes; elas têm diferentes objetivos, ambições e motivações, apresentarão diferentes níveis de crescimento físico e psicológico, são afetadas por diferentes contextos sociais e culturais, e requerem diferentes tipos de apoio de modo a aprenderem eficazmente, sentirem-se confortáveis no seu ambiente de treino e maximizarem o seu potencial. Enquanto treinadores de futebol, o nosso trabalho é identificar essas necessidades e construir as nossas metodologias em torno delas.

Ao observar as disparidades de desenvolvimento e objetivos dos nossos jogadores, conseguimos identificar a melhor maneira de os motivar, de trabalhar com eles para estabelecer objetivos diferenciados e para criar planos de desenvolvimento individuais, assim como será possível planear sessões que permitam-nas focarem-se em aspetos específicos do seu jogo dentro dos exercícios mais amplos do treino.

Esta abordagem pode parecer desafiador numa fase inicial, mas vai ficando mais fácil com a prática. Os objetivos individuais não necessitam de ser muito complicados para que sejam eficazes e, dar uma maior liberdade aos jogadores para decidirem na sua própria experiência de aprendizagem, irá aumentar o envolvimento e ajuda no seu desenvolvimento em geral.

Curso de treinador de futebol

Curso de treinador de Futebol

Incentivar a aprendizagem através da prática

Ajudar as crianças a aprenderem enquanto praticam, vai além do príncipio de fazer a prática divertida. As crianças usam o jogo para experimentar, correr riscos, enfrentam falhas e adversidades, e desenvolvem-se mediante a exploração. Em conjunto com tornar os treinos mais divertidos, um ambiente de aprendizagem que utilize os jogos como ferramenta educacional, traduz-se, regra geral, nos ambientes em que existe um maior grau de probabilidade e facilidade no desenvolvimento dos jogadores.

Os jogos oferecem mais variabilidade, obrigando os jogadores a pensarem rapidamente e a adaptarem, de modo a que, com o tempo, se tornem mais hábeis, melhores decisores e mais preparados para as exigências dos jogos. Um ambiente de aprendizagem baseado no jogo não significa que todas as sessões de treino devam ser uma hora de jogo livre, mas sim incorporar o jogo nas nossas sessões e implementar exercícios que se assemelhem a momentos do jogo. É importante que os desafios dados aos nossos jogadores sejam captantes e estimulantes.

Manter os jogadores ativos

Uma pedra angular do coaching eficaz é a capacidade de manter os jogadores ativos – especialmente quando se trabalha com crianças. As crianças não querem ouvir longas palestras e instruções, nem esperar em fila pela sua vez de participar, por isso é importante executar treinos fluídos e que maximizem o tempo de bola corrida.

Define-se tempo de bola corrida como a percentagem de tempo em que a mesma está em jogo e as crianças estão a participar ativimente durante a sessão de treino. Por exemplo, se planearmos um treino de 60 minutos e a bola rolar durante 45 minutos, a nossa sessão de treino teve um tempo de bola corrida de 75%. Nós, os treinadores de futebol, devemos utilizer esse tempo para prestar as nossas intervenções, mudar de exercícios, fazer pausas para águas ou para falar com o nosso grupo de trabalho.

A chave para um planeamento inteligente centra-se na execução de exercícios com breves explicações, que exigam pouco tempo de preparação do set-up e que maximizem o envolvimento dos jogadores. Assim que aprendamos a planear e executar sessões fluídas, com uma comunicação clara e concisa, estaremos preparados para manter os nossos jogadores ativos durante grande parte da sessão de treino.

Desenhar sessões criativas

Planear é uma parte essencial para um treinador de futebol. Possibilita a maximização do tempo que os jogadores estão ativos durante a sessão, permite a ajustar cada atividade às necessidades individuais dos nossos jogadores, assim como permite construir práticas em torno de tópicos ou temas específicos e, se assim o desejarmos, colocar cada sessão de treino num contexto curricular mais amplo ou de agrupamento de sessões.

Uma sessão bem desenhada terá em conta uma vasta gama de fatores, incluindo:

  • O número de jogadores previstos a comparecerem no treino
  • As necessidades individuais e objetivos de desenvolvimento dos jogadores
  • Os frente a frente que serão criados durante os exercícios 
  • Consideração das diferentes zonas do campo para recrear a sensação de situações de jogo
  • E como cada um destes componenentes pode ser abordado numa área específica de aprendizagem

Para utilizar de melhor forma a geografia do campo, devemos situar os nossos exercícios na área do campo onde será mais relevante a nossa equipa trabalhar. Por exemplo, se queremos que os nossos defesas explorem e pratiquem uma defesa em profundidade, devemos procurar preparar e realizar os nossos exercícios no último terço do nosso eixo defensivo. Isto garante que a informação e dicas aprendidas no decorrer dos treinos se assemelhem às experiências de jogo, permitindo uma maior facilidade na transposição dos conhecimentos aprendidos nos diferentes momentos dos jogos.

Os tópicos do treino podem basear-se nos padrões de jogo, tais como os contra-ataques ou o controlo de bola; no foco de momentos isolados dos jogos (por exemplo, se no último jogo verificarmos que a equipa esteve pior defensivamente); melhorar a estratégia de jogo; ou refletir a filosofia de jogo que queremos implementar no nosso clube, seja numa academia profissional ou num clube amador.

Aprender a desenvolver este tipo de tópicos e temas, e conjugá-los com os restantes aspetos do planeamento das sessões de treino, pode melhorar consideravelmente as nossas habilidades de coaching e, dessa forma, ajudar-nos a abordar cada treino com a confiança necessária.